Adidas está otimista para recuperar mercado nos EUA

Adidas está otimista para recuperação com novos modelos nos EUA
Depois de ter passado um período sem brilho, a empresa fez um forte retorno nos EUA, superando rivais como a Under Armour




A Adidas está otimista de que a forte demanda por novos modelos de calçados irá impulsionar sua recuperação no mercado norte-americano, mesmo que a popularidade de clássicos como Superstar e Stan Smith diminua, disse à Reuters o chefe da companhia para América do Norte.

Depois de ter passado um período sem brilho, a empresa fez um forte retorno nos EUA, superando rivais como a Under Armour e competindo com a líder do mercado nos Estados Unidos, a Nike.

Os modelos retrô Superstar da Adidas foram os tênis mais vendidos nos Estados Unidos no ano passado e marcaram a primeira vez que um produto da Nike não estava no topo em mais de uma década.

A Adidas quase dobrou sua participação de mercado para 9 por cento no setor de calçados nos EUA nos 12 meses encerrados em abril de 2017, de acordo com a empresa de pesquisa NPD.

A Nike continuou bem na frente, mas sua participação no mercado caiu para 50 por cento, ante 52 por cento.

A ainda mais quando seus anúncios dão revés, como quando tentando aproveitar o momento que vive seu atleta Cristiano Ronaldo, publicando um bonito post sobre o goleador. Na foto, Ronaldo ainda garoto e o texto “Ninguém acreditava que o menino da Madeira poderia alcançar as estrelas. Exceto o menino da Madeira. Esse garoto sabia”.

LEIA TAMBÉM: Jogadora de futebol se negou a jogar na seleção dos EUA por camisa do “orgulho gay”





LEIA TAMBÉM: Curt Onalfo, treinador do Los Angeles Galaxy é brasileiro

Porém um pequeno problema apareceu no meio do caminho e os internautas não deixaram passar. Eles repararam que na foto original do post utilizado pela Nike, o craque português utilizava um uniforme da Adidas, principal concorrente da marca americana. É claro, a montagem viralizou na internet.

No ano passado, as vendas da Adidas na América do Norte cresceram 24 por cento para 3,41 bilhões de euros, seu melhor resultado já registrado.

Alguns analistas, contudo, têm questionado a sustentabilidade desse rápido crescimento.

Há preocupações de que a Adidas possa apostar demasiadamente nas tendências da moda inconstantes para impulsionar o crescimento nos Estados Unidos, e não em sapatos esportivos de desempenho, onde fica atrás da Nike por uma ampla margem.

Mark King, presidente da Adidas na América do Norte, disse à Reuters, no entanto, que vê as rápidas mudanças de tendências da moda como uma oportunidade, o foco da companhia continuava sendo seu negócio principal: calçados de desempenho para atletas de futebol, beisebol, basquete, golfe e futebol americano.

Ele disse que a empresa melhorou a gestão das variações da demanda para os seus calçados mais populares e que estava tomando cuidado para não saturar o mercado.

Por Reuters