Rodrigo Faria, que teve uma marcante passagem pela MLS em 2001, quer virar técnico nos EUA

O carioca Rodrigo Faria, ex-atacante do MetroStars, foi um dos jogadores mais talentosos e intrigantes que passaram pelo clube. Assim como um meteoro, desapareceu tão rápido quanto apareceu.




Rodrigo no dia em que foi apresentado ao seu novo clube Metro Stars em 2001

Mas agora ele está de volta e espera causar novamente um grande impacto na MLS, mas dessa vez escrevendo um capítulo mais longo nessa história.

Rodrigo foi selecionado em um Draft da faculdade em 2001 pelo então New York/New Jersey MetroStars, que foi o primeiro nome do clube hoje conhecido como o New York Red Bulls. Ele também foi o Rookie (NOVATO) do Ano da MLS. Um choque na época, para o mercado de futebol, pois se tratava de um jogador muito pouco conhecido, que quase não havia jogado futebol universitário.

Ele marcaria 20 gols nas duas temporadas que atuou pelo time de Nova York antes de ser negociado com o Chicago Fire, em um acordo que trouxe o técnico Bob Bradley para o MetroStars. Rodrigo estaria fora da MLS já na próxima temporada, voltando para o Brasil após a morte de seu pai. Ele assumiu os negócios da família e nunca mais jogou futebol.

No entanto,  Rodrigo se manteve envolvido com o esporte, treinando crianças por um período e treinando com alguns times. Mas nunca mais jogou profissionalmente, apesar de sua forma física privilegiada e elogiada nos tempos da MLS.

LEIA TAMBÉM: Ilsinho vibra com gol e vitória do Philadelphia Union na MLS

Agora, Rodrigo está planejando voltar a participar da MLS.

“Eu quero participar do futebol novamente. Academia aqui? Claro, Nova York é o meu objetivo, este é o meu lugar. É o lugar que eu quero estar. Eu nunca entendi o comércio. Se eu tiver uma oportunidade aqui, faço qualquer coisa. Já tenho a minha “Licença F”, é a única que posso fazer online “, disse Rodrigo à MSGNetwork.com

“Eu posso estudar aqui e vou fazer de tudo para obter todas as licenças da ‘A’ a ‘F’, para que eu possa me tornar um verdadeiro treinador. Talvez até um treinador da MLS, porque conheço muito desse esporte “.

Rodrigo comemora um dos 20 gols que marcou pelo MetoStars, hoje New York Red Bulls

Rodrigo estava no treino dos Red Bulls nessa sexta-feira, convidado pelo gerente de equipamentos Fernando Ruiz, que mantém contato com Rodrigo e vários outros ex-jogadores, mencionando que o jogadores do elenco atual, pediram para que ele ficasse para acompanhar os treinos.

As conexões vão além de apenas sua ligação com o antigo MetroStars.

LEIA TAMBÉM: Curt Onalfo, treinador do Los Angeles Galaxy é brasileiro




O atual treinador dos Red Bulls Jesse Marsch, jogou com Rodrigo pelo Chicago Fire em 2003. Além disso, o assistente técnico Chris Armas também fazia parte daquele time.

Marsch brincou com Rodrigo, que agora está com 40 anos, mas ainda está magro a aparentemente em forma, dizendo que Rodrigo poderia inclusive jogar alguns minutos pelo time de novo. É claro que isso não acontecerá, mas disse de coração, que está muito confiante em voltar ao time novamente, mas não como jogador.

“Espero que eu consiga me preparar, porque eu quero estar aqui novamente, esse é o meu objetivo, é a coisa mais importante para mim nesse momento”, disse Rodrigo.

“Eu nunca joguei no Brasil porque havia uma multa contratual para que eu pudesse voltar a jogar por lá.

“Eu não quebrei meu contrato. Eu apenas me aposentei. Quando me aposentei, não pude jogar durante os dois anos seguintes. Eu treinei com a equipe do Flamengo e a do Vasco por dois anos – mas foi apenas treino. Então comecei a dirigir os negócios da familia. ”

Rodrigo foi convidado pelo clube e estará no partida dos Red Bulls neste domingo, contra o New York City F.C, no estadio do New York City F.C.


Por Kristian Dyer

VIDA EUA: Como viajar dentro dos Estados Unidos

VIDA EUA: Os 10 maiores obstáculos para brasileiros que mudam para os Estados Unidos